Os grilhões que amordaçam uma Voz

Grão lançado ao ar por All3X às 11:16 de quarta-feira, 20 de agosto de 2008

Em 1989, S.S. o 14º Dalai Lama – líder espiritual e político tibetano – recebe o Prêmio Nobel da Paz, fazendo com que o Tibete, pouco conhecido na comunidade ocidental, ganhe maior expressividade internacionalmente, revelando ao mundo situações que a China comunista faz questão de negar.
Até 1949 o reino do Tibete possuía certa independência, mas após a Revolução Cultural liderada por Mão Tsé-Tung a China invade a região reanexando-a ao território chinês, assegurando que a província possuiria autonomia política e outras liberdades sociais. Mas o acordo foi apenas formal, nunca se efetivou.
Após vários conflitos com soldados chineses, o Dalai-Lama vê-se obrigado, em 1959, a se exilar na Índia, seguido de aproximadamente 85.000 tibetanos que foram para outros países vizinhos. Se no início dos anos 50 havia cerca de 7 milhões de tibetanos, hoje são menos de 2,5 milhões no território ocupado pela China.
Do norte da Índia, em Dharamsala, Tenzin Gyatso controla o governo de exílio, mas nenhum país reconhece o governo como oficial. De lá, ele difunde suas palavras e atenta a todos sobre o genocídio cultural realizado pela China no Tibete. Da ocupação da região até os dias de hoje, 95% dos templos budistas existentes antes de 1949 foram destruídos, milhares foram mortos, levados a campos de trabalho, ou se exilaram para não terem o mesmo fim, além de o governo chinês incentivar uma sincretização cultural em larga escala, introduzindo elementos da cultura chinesa no local.
Com os protestos que acompanhavam a passagem da tocha olímpica em torno dos países do globo se reacendeu a chama de discussões que pedem a autonomia do governo tibetano.
A China mantém a ocupação, mas à medida que se integra com a economia ocidental, insere aos poucos modelos de organização social distintos dos até então presentes no resto do país. Manter toda a população sob controle intenso, e afastada de pensamentos que deflagram a real situação por ela vivida não perdurará por muito tempo. A própria urbanidade que se espalha pelo país traz consigo novos valores, assim como o grande contato com a cultura liberal do ocidente.
A passos brandos, mas invariavelmente a China terá que ceder. Quais medidas serão adotadas ainda é incerto, mas o encontro de oriente e ocidente produzirá uma nova forma de pensar. E os sussurros vindos da cordilheira mais alta do mundo serão ouvidos.
“A opressão nunca conseguiu suprimir nas pessoas o desejo de viver em liberdade”
Tenzin Gyatso

Postagens Relacionadas

Gostou deste artigo? Então deixe um comentário e assine nosso RSS Feed.
Imprimir esta página | Enviar para o Twitter | Recomendar no diHITT | Feed dos comentários

16 outro(s) grão(s) se juntaram a este.

  1. come come disse:
    Postado em quarta-feira, agosto 20, 2008 12:44:00 PM

    Nosso templo é nossa essência.

     
  2. roas77 disse:
    Postado em quarta-feira, agosto 20, 2008 1:02:00 PM

    Me desculpe .. volto depois pra faze um copmentario descente .. rsrs

    abç..

     
  3. Postado em quinta-feira, agosto 21, 2008 1:23:00 PM

    "Da luta não me retiro
    Me atiro do alto
    e que me atirem no peito"

    batalhar sempre.......
    Boas vibrações para o Tibet!

     
  4. Nash disse:
    Postado em quinta-feira, agosto 21, 2008 1:47:00 PM

    To comentando no seu blog por causa da comu do orkut comenta no meu tb ok? mto legal seu blog parabens

    vlw e ateh mais

     
  5. Postado em quinta-feira, agosto 21, 2008 1:59:00 PM

    Cara, muito interessante esse resgate dos fatos q vc trouxe. Uma das partes boas dessa Olimpíada de Pequim 2008 foi o debate político e social promovido por diversos setores. Parabéns pela abordagem!

    Aqui, quero lhe convidar para passar no meu blog, o Café com Notícias.

    Abraço,

    =]
    __________________________
    http://cafecomnoticias.blogspot.com

     
  6. Jeffisu disse:
    Postado em quinta-feira, agosto 21, 2008 2:07:00 PM

    "Cara, muito interessante esse resgate dos fatos q vc trouxe. Uma das partes boas dessa Olimpíada de Pequim 2008 foi o debate político e social promovido por diversos setores. Parabéns pela abordagem!" [2]

    disse tudo!

     
  7. All3X disse:
    Postado em sexta-feira, agosto 22, 2008 1:05:00 PM

    Muito bacana a atitude Bia, e Valeu a todos, em especial a Vander, a visita não irá faltar.
    All3X

     
  8. Carlos Vin disse:
    Postado em sexta-feira, agosto 22, 2008 1:17:00 PM

    Cara, uma ótima abordagem e resumo da situação do Tibet.

    Uma opressão com extremo poder em cima de um povo que não tinha como ter voz para lutar, é muito complicado... Mas com essa olimpiada eles conseguiram buscar voz por meio delas... É importante essa voz não morrer depois que passar os jogos...

    Ótimo texto, cara

    Um abraço!

     
  9. W. Ricardo disse:
    Postado em sexta-feira, agosto 22, 2008 1:33:00 PM

    Otimo texto, muito bom msm
    ta de parabens....
    entra no meu blog depois
    www.geracaoincendiada.blogspot.com

     
  10. Postado em sábado, agosto 23, 2008 4:03:00 PM

    precisamos de libertade para viver

    abraços
    http://blogaragem.blogspot.com

     
  11. "O Autor", disse:
    Postado em sábado, agosto 23, 2008 8:30:00 PM

    Enquanto houver pressões, a China não cederá.

    Qual gigante gosta de ser cutucado?

     
  12. All3X disse:
    Postado em sábado, agosto 23, 2008 10:01:00 PM

    Ois creio justamente que somente se houver pressões internacionais é que a China poderá ceder. Posso estar errado, mas temos que tentar.
    All3X

     
  13. Postado em sábado, agosto 23, 2008 10:44:00 PM

    Acho a causa do Tibete de suma importância, principalmente para sinalizar aos chineses que, ao contrário que pensam, eles têm sim que respeitar autonomias, liberdades e direitos.

    A causa tibetana não é apenas daquele povo, mas do mundo todo, que sofre com o imperialismo americano e pode vir a sofrer com o chinês.

    Bom texto. Abs

     
  14. Postado em domingo, agosto 24, 2008 11:59:00 AM

    Essa história ainda vai longe... Os tibetanos não desistirão, o governo chinês menos ainda, até que haja um colapso e aconteça o inevitável.

    []'s

    Musikaholic

     
  15. Postado em domingo, agosto 24, 2008 3:09:00 PM

    O mundo está repleto de formalidades, como essa do acordo entre China e Tibete. A hipocrisia sempre prevalece e o que se vê é uma exploração maquiada de territórios. Ou até mesmo descarada, como ocorre com o Curdistão, por exemplo.
    Eu não sou a favor da prisão e das amarras. Se um povo não tem orgulho da nação, sente-se insatisfeito e quer se separar, que o faça. É claro que, na maioria das situações, é inviável pelos interesses. Mas se há a vontade de segregar, é porque um dia o território foi anexado brutalmente. Justiça seja feita.

    Até mais!

     
  16. All3X disse:
    Postado em domingo, agosto 24, 2008 3:42:00 PM

    Na minha opnião Daniel, nem seria precisa o Tibete ser um país independente, basta que o governo chinês permitesse liberdade cultural e autonomia para a população.
    Valeu o comentário,
    All3X

     

Postar um comentário

"Cuidado... ao dizer alguma coisa, cuide para que suas palavras não sejam piores que o seu silêncio."
Não se intimide, seja livre para comentar!

Areias do tempo:

Grãos Associados:

BlogBlogs: