1808: A Criação do Estado Brasileiro

Grão lançado ao ar por All3X às 16:40 de segunda-feira, 6 de outubro de 2008

Afugentados por Napoleão Bonaparte, a Família Real portuguesa desponta de Lisboa para o Rio de Janeiro, fazendo uma pequena parada em Salvador. A chegada no Brasil, em 1808, foi marcada com calorosas festividades e entusiasmadas saudações da população local, orgulhosa por receber e abrigar a nobreza lusitana.
A manobra política de D. João VI de desviar o controle político de seu reino sem ter que enfrentar as tropas napoleônicas garantiu sua permanência no poder e o controle de suas possessões.
Já com a presença pessoal do príncipe regente por aqui, a integridade territorial brasileira foi garantida, mesmo que para isso se fizesse o uso da força. Afinal, muitos movimentos separatistas eram violentamente reprimidos pelas tropas reais, que rapidamente se moviam por ordens de D. João.
De modo que, antes mesmo do processo de independência da metrópole, a composição e estruturação do Estado nacional brasileiro já haviam sido forjadas. O que fez com que os movimentos de independência posteriores se limitassem à luta pelo controle de um Estado já constituído.
Por não ter um histórico de movimentos revolucionários de emancipação bem sucedidos, o povo brasileiro ainda é incipiente, como já mencionei aqui antes, em estabelecer e defender seus direitos.
Estamos acostumados a receber pronto ao invés de ter que lutar para conseguir o que é nosso de direito. E por isso, muitas das vezes, aceitamos o que nos é dado tal qual como nos é oferecido, mesmo sendo possivelmente algo ‘precário’.
A formação do Estado brasileiro não foi instituída com participação popular, e se hoje possuímos uma arraigada estrutura hierárquica que não é contestada pela maioria dos cidadãos, devemos isso ao conservadorismo estabelecido pelas políticas logo aqui implantadas por um poder central unificador.
A emancipação política brasileira, movida por um segmento social dominante, nos levou a ser a primeira (e mais duradoura) monarquia na América. Se não estou enganado, apenas o México também teve outra experiência monárquica, mas muito breve.
Por ter chegado aqui primeiro, D. João estabeleceu, mesmo que involuntariamente, que tudo o mais no Brasil chegasse tardiamente.
Esse texto faz parte da série Projeto G8

Postagens Relacionadas

Gostou deste artigo? Então deixe um comentário e assine nosso RSS Feed.
Imprimir esta página | Enviar para o Twitter | Recomendar no diHITT | Feed dos comentários

18 outro(s) grão(s) se juntaram a este.

  1. Feänor disse:
    Postado em segunda-feira, outubro 06, 2008 5:38:00 PM

    Em um país com histórico de subserviência, ausência de uma forte cultura política e absurdas desigualdades sociais, chego à conclusão de que não temos mais como reverter esse quadro.

    Digo isso não como alguém que observou o quadro nacional e anteveu a derrota, mas sim de quem, pela linha de trabalho, conhece muito mais dos bastidores do país do que gostaria de saber.

    Nesse caso, a ignorância seria uma bênção, ao menos manteria viva uma ponta de esperança.

    Agora, considerando que nossa independência foi proclamada por um português exatamente para que o próprio Brasil o fizesse e tomasse pra sio as rédeas de sua nação, nada disso me espanta.

    Obs.: O livro 1808 é muito bom, eu recomendo! Retrata bem esse período que se sucedeu à covardia da família real portuga.

     
  2. Postado em segunda-feira, outubro 06, 2008 5:44:00 PM

    Lutar por algo é relativamente novo para o povo brasileiro ... acredito que o primeiro grande movimento popular foram as diretas já e depois o impeachamant ( acho q escrevi certo ) do collor.

     
  3. Postado em segunda-feira, outubro 06, 2008 5:49:00 PM

    Sem dúvidas, apatia do brasileiro tem origens históricas. Não só a monarquia mas a posterior república também foi instituida sem participação popular. De fato, nós nos acostumamos desde cedo a aceitar as regras do jogo.

     
  4. Postado em segunda-feira, outubro 06, 2008 6:10:00 PM

    Sou professor de história, falo desse assunto quase todo dia. A constituição do estado brasileiro, concordo, foi de cima para baixo. Mas a pequena participaçãp do povo em questões importantes tem mais a ver com a falta de instrução. Mas não basta apenas ir à escola, ela tem que ser de boa qualidade. Pense na bronca.

     
  5. Postado em terça-feira, outubro 07, 2008 12:58:00 AM

    Imprensa amarrada, ensino superior direcionado apenas à formação de burocratas e profissionais liberais para o estado, são males q afligem o Brasil desde sua formação enquanto Estado.

    O chato é q muitos dos q criticam essa situação, implicitamente a perpetuam, apoiando as políticas e a mentalidade de direita que dependem dessa situação para manter sua dominância.

     
  6. All3X disse:
    Postado em terça-feira, outubro 07, 2008 10:05:00 AM

    Acredito que a população tenha grande apatia política por praticamente não saber como exercer seus direitos. Assim como tenho que aceitar o fato que exista falta de instrução para uma grande maioria, que, por isso, é manipulada.
    Mas temos que, se não for para acabar com esse quadro, ao menos amenizar a situação.Simplismente aceitar do modo como está e ficar calado não dá.
    All3X

     
  7. Renata disse:
    Postado em terça-feira, outubro 07, 2008 10:52:00 AM

    Isso me lembrou minhas épocas de vestibular... hehe
    Po, já que você é uma pessoa interessada em história, será que pode me dar uma dica? Eu sou louca por documentários, mas é muito raro achar algum sobre o Brasil pra baixar... Sabe de algum bom? Já estou cansada de só achar coisas sobre a política, alimentação e blablabla dos EUA!
    Bjocas

     
  8. Postado em quarta-feira, outubro 08, 2008 10:16:00 AM

    Como o colega do direito disse, no primeiro comentário, as vezes seria melhor, ter guardado em mim a ignorância e a falta de consciencia política.

    Mas como não o fiz, também não deixo que minha esperança se vá. Pelo contrário, acredito que com uma conscientização e empenho do governo, principalmente em educar, conseguiremos reverter tal situação.

    O fato é que muitos brasileiros simplesmente se fecham para uma discussão sobre como evoluír como nação, e preferem discutir sobre o Big Brother ou futebol, do que falar sobre o futuro de seu país, onde suas gerações futuras, viverão.

    abraço,
    http://comideiaseideais.blogspot.com

     
  9. Postado em quinta-feira, outubro 09, 2008 4:48:00 PM

    De todos os fatos da nossa história, essa passagem me chama atenção pq a Coroa escolheu o Brasil, de todas as suas colonias, para se esconder de napoleão. Mesmo que de forma atrasada, muitas coisas chegaram no Brasil, inclusive a imprensa...hehehe

    Excelente texto!

    Abraço,

    =]

    -------------------
    http://cafecomnoticias.blogspot.com

     
  10. Postado em sexta-feira, outubro 10, 2008 9:44:00 AM

    filho de peixe peixinho é,rsrs

    Sério, o povo é constituído majoritariamente por descendentes dde escravos e refugiários de países que corriam perigo, enquanto a classe dominante sempre zelou por essa cultura de manter o povo alienado pra que não perdessem os privilégios e usando artíficios inescrupulosos que nem ao menos lhes causam qualquer culpa ou remorso, o q perpetua hodiernamente.

    bjos

     
  11. Postado em sexta-feira, outubro 10, 2008 9:45:00 AM

    aceita parceiria?

     
  12. All3X disse:
    Postado em sexta-feira, outubro 10, 2008 1:35:00 PM

    Sim Márcio, acredito no mesmo que disse, que podemos reverter essa situação.
    E Wander, muita coisa chega atrasada na Brasil, como foi o caso da imprensa (fomos o 12º país das Américas a possuir uma), mas também a consciência política chega devagar por aqui...
    E Tania, muita coisa herdamos culturalmente de outros povos, mas creio que temos que fazer algo diferente agora.
    Valeu,
    All3X

     
  13. Thaathaa =) disse:
    Postado em sábado, outubro 11, 2008 4:47:00 PM

    goostei do bloog !
    ;* passa aqi .

     
  14. Postado em sábado, outubro 11, 2008 6:12:00 PM

    A maioria das coisas que fizemos com participação popular não deu certo. Estão aí para comprovar isso a Conjuração Baiana, a Revolução Pernambucana , a Guerra de Canudos e mais um monte de movimentos que foram deteriorados pelo governo. Como diria Zileide Silva, "gente, não dá". Nem mesmo nossa Independência foi obra do povo. É preciso mobilizar, conscientizar. Não para fazer revoluções desmedidas. Mas para garantir direitos e um bom lugar para se viver.

    Até mais!

     
  15. All3X disse:
    Postado em domingo, outubro 12, 2008 10:13:00 AM

    Daniel, mesmo evidenciando que pouco foi feito no passado, temos que, como disse, nos mobilizar e conscientizar.
    E dá sim...só é uma questão de jeito...rs
    Valeu,
    All3X

     
  16. Postado em segunda-feira, outubro 13, 2008 12:24:00 PM

    Alex, querido, vc tem toda razão. A atitude de D. João foi um ato de covardia que acabou sendo muito perspicaz, mas a força motriz foi a covardia mesmo. Um soberano inepto, bufão, uma piada em todos os sentidos. Napoleão enxergou bravura: "foi o único que me enganou", mas acho que mais por esperar que fosse um ato bravo do que uma fuga deplorável que, no final, foi o que aconteceu.
    Quando criança, na 4a. série, me lembro de perguntar à professora, quando aprendemos sobre a independência: mas professora, D. Pedro brigou com o pai dele? Ele ficou contra o pai? A professora ficou desconcertada e não sabia o que responder diante da constatação de uma criança ingênua que o Brasil tinha mesmo trocado 6 por meia dúzia. Nojento, pra não dizer o menos.
    Eu amei o 1808 também e é louvável que vc o mencione e ajude a divulgar, realmente um dos melhores livros dessa época da nossa história.
    O texto, nem precisar falar, né? Indefectível! ; ) Pena que vc vai ser advogado, mas, pensando bem, precisamos de juristas com esse talento e lucidez.
    Beijo, amigão!

     
  17. All3X disse:
    Postado em segunda-feira, outubro 13, 2008 6:25:00 PM

    Oh, valeu mesmo Letícia pelo comentário.
    Suas posições são sempre sensatas...
    E quanto a Napoleão, ele se surpreendeu com D.João por não esperar aquela reação de nenhum governante.
    E sua professora ficou mesmo em maus lençois, pois é difícil explicar e aceitar esses fatos, imagina então dizer isso para quem tem o primeiro contato com nossa história...
    Desilusões à parte, volto a agradecer.
    Ah, que isso, pretendo não decepcionar quanto a minha atuação como profissional do direito.
    E só para completar, este texto faz parte de uma série que estou fazendo. 1808 faz parte de minha inspiração, mas terão outros textos ainda por vir...
    Até mais,
    All3X

     
  18. Postado em quinta-feira, outubro 16, 2008 4:23:00 PM

    Vc chegou a ler o livro de msm nome ??Muito bom msm .

     

Postar um comentário

"Cuidado... ao dizer alguma coisa, cuide para que suas palavras não sejam piores que o seu silêncio."
Não se intimide, seja livre para comentar!

Areias do tempo:

Grãos Associados:

BlogBlogs: