O eterno símbolo do protesto – O cinqüentenário de um Sonho

Grão lançado ao ar por All3X às 16:39 de quinta-feira, 17 de julho de 2008

Na cidade de Aldermaston, a 84 km de Londres, o governo britânico desenvolvia um centro de pesquisas nucleares. Como forma de protesto, o movimento pacifista CND (sigla em inglês de Campanha para o Desarmamento Nuclear), planejou fazer uma marcha até o local para marcar a fundação do grupo - no ano de 1958 -, e exigir o fim da construção de armas de destruição em massa no mundo.
Aquela era a época da Guerra Fria, estando no auge a corrida armamentista, liderada pelos Estados Unidos e pela então União Soviética, mas também seguida por outros países da Europa, entre eles o Reino Unido.
Para apoiar a campanha e ter incentivo popular, o grupo contratou Gerald Holtom, um designer comercial e artista gráfico, para projetar um símbolo que fosse forte o bastante para ser usado por toda a população como referência direta do protesto.
O resultado deu mais do que certo. O símbolo se difundiu e é usado hoje em diversos movimentos de contestação. Se antes era de uso quase exclusivo do grupo contra o armamento nuclear, a partir dos anos 60 ele serviu de estandarte do movimento da contracultura, como símbolo anti-guerra e pela paz.
Todavia, passados 50 anos do episódio, pouca coisa mudou...
Segundo cálculos do Departamento de Pesquisa de Conflitos e Paz da Universidade de Uppsala, na Suécia, autor do relatório "Estados em Conflitos Armados”, há no mundo hoje cerca de 30 guerras ou conflitos em andamento, um dos piores índices das últimas décadas.
Os pesquisadores dividem os eventos de acordo com sua natureza, que pode ser "Guerras e Conflitos Menores", categoria onde se encaixam os eventos no Afeganistão e Iraque, "Conflito Não-Estatal" e "Violência Unilateral" - neste último se encaixam, por exemplo, as FARC’s e o Comando Vermelho.
Para chegar à categoria principal, eles passam o evento pelo filtro da definição da Fundação Prêmio Nobel, que patrocina parte do estudo. Guerra, diz a Nobel, é um conflito armado em que há pelo menos mil baixas militares em batalhas, onde ao menos uma das partes envolvidas é o governo de um Estado. A entidade reconhece que, se fosse mais elástica na definição -500 mortes, por exemplo-, o número saltaria.
Dessa vez não sei o que dizer, resta-me o silêncio. O que nos falta fazer para vislumbrarmos a convivência harmoniosa e pacífica em sociedade?

Postagens Relacionadas

Gostou deste artigo? Então deixe um comentário e assine nosso RSS Feed.
Imprimir esta página | Enviar para o Twitter | Recomendar no diHITT | Feed dos comentários

11 outro(s) grão(s) se juntaram a este.

  1. Postado em sexta-feira, julho 18, 2008 11:40:00 AM

    Ai os hippies utilizaram o símbolo para liberar a maconha e o sexo grupal. E tudo foi desvirtualizado hehe xP

    Gostei do post! Bem interessante ^^

    []'s

    http://musica-holic.blogspot.com/

     
  2. rosangela disse:
    Postado em sexta-feira, julho 18, 2008 11:56:00 AM

    quando souber conta pra gente!!

    eu nem imaginava dessa clacificação.. "Conflito Não-Estatal" "Violência Unilateral"

    O pior que quando analisamos parece que eles querem mesmo é guerra.. póis aparentemente são por coisas que poderiam entrar num acordo e todos ficarem bem.. mas não os governos querem sair vitoriosos .. mostrar ao seu povo o seu poder..

    É complicado ..

    abç...

     
  3. Postado em sexta-feira, julho 18, 2008 1:19:00 PM

    Olá...
    E a Paz, procuramos nos Outros e em nós mesmos, mas não encontramos no Estado nem no universo, ou no verso do uno...
    Abraços
    Everaldo Ygor
    ॐEveraldo Ygorॐ
    Indo...
    "Estréia" em:
    http://miniminimos.blogspot.com/

    "Verves" em:
    http://outrasandancas.blogspot.com/

     
  4. All3X disse:
    Postado em sexta-feira, julho 18, 2008 4:38:00 PM

    Bem Jonatas, cada um interpreta de seu modo, não tem como controlar...
    E valeu também Rosangela e Everaldo, este é sim um caminho tortuoso de se seguir, até o encontro dessa Paz.

    All3X

     
  5. VAMOS RIR? disse:
    Postado em domingo, julho 20, 2008 12:45:00 PM

    Já add seu link!
    Muito bom o blog.

    http://blogblog08.blogspot.com/

     
  6. VAMOS RIR? disse:
    Postado em segunda-feira, julho 21, 2008 11:31:00 AM

    Oi tudo bem?
    Seu blog ganhou um SELO do VAMOS RIR? Vai lá depois.. Peço para que onde está escrito ATENÇÃO você leia.
    Obrigado
    Tenha uma Otima Semana!

    http://blogblog08.blogspot.com/

     
  7. Postado em quarta-feira, julho 23, 2008 2:24:00 PM

    Oi tudo bem?
    Muito bom o post Parabéns!
    Vim aqui lhe falar que mudei o título do blog, agora não é mais VAMOS RIR mudei para VÁRIOS ASSUNTOS. Si você puder trocar o título ficarei grato!
    Vai lá pra você conferir o novo visual do blog, espero que você goste.
    Até
    http://blogblog08.blogspot.com/

     
  8. Postado em quarta-feira, julho 23, 2008 4:08:00 PM

    É aquilo de que sempre falamos. Inacreditável é a forma como os seres humanos resolvem os seus problemas. Aliás, não resolvem. Guerras não solucionam nada. Apenas determinam uma força dominante, que precisará vencer um conflito atrás do outro para se manter nessa condição. Por isso, a destruição é uma tendência, se as armas forem desenvolvidas de maneira indiscriminada. Por isso, é tão importante que a sociedade lute, com símbolos, líderes, voz ativa, engajamento e sei lá mais o quê.

    Até mais!

     
  9. Elisa disse:
    Postado em sexta-feira, julho 25, 2008 9:24:00 AM

    Guerras sempre irão existir. Está na natureza do homem mostrar-se mais poderoso que o outro. Vencer através da força. É algo masculino, intrínseco a todos os seres do gênero.

    Não que todos levem esse comportamento primitivo adiante. Felizmente, há os que pensam em soluções mais inteligentes.

    Infelizmente, os mais poderosos não parecem pensar assim.

    Resta aos bons, criar símbolos e acreditar neles (mesmo sabendo que pouca coisa vai mudar).

    É um mundo triste esse o nosso.

     
  10. All3X disse:
    Postado em sábado, julho 26, 2008 4:24:00 PM

    Concordo com você Daniel, é necessário engajamento em algo que confiamos que possa fazer algo se alterar, e Elisa, memo que a mudança seja pequena, ainda assim é sempre será bem vinda. Que as pequenas ações diárias sejam nossa esperança.
    Abraços,
    All3X

     
  11. Postado em segunda-feira, julho 28, 2008 9:16:00 PM

    Acho que falta mais amor no coração do ser humano. Se o ser humano tivesse amor um pelo o outro poderíamos vislumbrar a convivência harmoniosa e pacífica em sociedade.^^

    Bejos.

     

Postar um comentário

"Cuidado... ao dizer alguma coisa, cuide para que suas palavras não sejam piores que o seu silêncio."
Não se intimide, seja livre para comentar!

Areias do tempo:

Grãos Associados:

BlogBlogs: