A Lei Divina e a dos Homens II

Grão lançado ao ar por All3X às 17:32 de domingo, 22 de março de 2009

Na ponderação de valores, não há sobreposição de nenhum deles, mas a harmonização entre eles. Talvez seja isso que muitos não enxergam.


Há pouco tempo fomos tomados pela notícia de que em uma cidade nordestina uma equipe médica realizou um aborto numa garota de nove anos de idade, com o consentimento da sua representante legal (a mãe da garota). O fato causou polêmicas ao levantar a temática, uma vez que a prática abortiva não é vista com bons olhos pela sociedade. Religiosos logo se inflamaram em acusações, lembrando que tal ato é considerado pecado capital.

Na postagem anterior, ao me referir à Revolução Islâmica, comentei que ‘o erro dos fundamentalistas é confundir os ensinamentos religiosos (A Lei Divina), com a legislação estatal, que deve ser laica, separada das crenças da coletividade’.

O que deve ser levado em consideração é o direito à vida da criança que estaria por nascer do ventre da garota, ou o direito da própria menina, que passava por riscos decorrentes da gravidez, ou ainda que assim não fosse, iria passar a vida maculada por ter sofrido um estupro? Não podemos tomar decisões analisando os fatos restritivamente, de forma isolada, mas sim em seu conjunto e ponderando nossas reflexões.

Não existem direitos absolutos em nossa sociedade e ordenamento jurídico. O que se realiza se fundamenta em decisões que abrange princípios gerais que servem de critério para a compreensão do sistema, mas de forma a definir uma harmonia entre as normas produzidas.

Relativizar nossas condutas e posições não é demonstrar que somos carentes de postura firme e de ideologias (inclusive religiosas). A veracidade decorre justamente analisando fatos de forma sistemática, dando-lhes lógica, é que realmente passamos a sermos críticos de nós mesmos. Revendo nossos pensamentos e aceitando melhor as condições que nos são apresentadas.

A garota vítima de seu próprio padrasto possui antes de outra medida o direito a ter uma existência digna e que possa ela definir os traços que devem guiar sua vida. Ao criminalizar a conduta da mãe da garota e da equipe médica, se está a ferir valores que consideramos – ou que antes julgávamos que considerávamos – como fundamentais à pessoa humana.

Criticamos muitas vezes posições alheias, como de alguns islâmicos que interpretam literalmente seus textos sagrados, mas em muitos momentos a sociedade a nossa volta pratica condutas semelhantes. E nós que pensávamos que fundamentalistas eram os outros...

Postagens Relacionadas

Gostou deste artigo? Então deixe um comentário e assine nosso RSS Feed.
Imprimir esta página | Enviar para o Twitter | Recomendar no diHITT | Feed dos comentários

4 outro(s) grão(s) se juntaram a este.

  1. Postado em quarta-feira, março 25, 2009 10:21:00 AM

    mto legal!!


    atualize sempre t+

    Se puder passa no meu blog:

    http://paginadacomedia.blogspot.com/

     
  2. Postado em quarta-feira, março 25, 2009 10:31:00 AM

    Deveríamos seguir pelo respeito ao ser humano e o bom senso ... regras escritas servem para dar uma direção mas o sentimento e as marcas que ficam não tem como escrever.

     
  3. Postado em quarta-feira, março 25, 2009 10:41:00 AM

    realmente, mesmo existindo muitas crênças religiosas diferentes, devemos respeitar o que cada um acredita, no meu caso não tenho nenhuma religião definida, e não óu católico nem nada não porque acredito na frase "só acredito no que vejo", mas sim que o universso começou a criar vida por si próprio até o dia de hoje, e não que existe uma força superior que decidade tudo que acontece no mundo. vou pelo que é mais lógico, e acredito mais em ET e fantasma do que um deus...
    abraços!

    http://wallnosekai.blogspot.com/

     
  4. nobreza disse:
    Postado em sábado, março 28, 2009 6:23:00 PM

    Quer um sujeito mais fundamentalista que George Bush e mesmo assim travestido sob o manto de "democrata" e até mesmo "tolerante"?

    No Brasil criou-se uma celeuma muito grande por conta das declarações do tal bispo pernambucano. Mas o fato é que a igreja católica não apita nada ( e nem outra instituição religiosa) no país, visto que trata-se de um estado laico, tanto que foi feito o aborto.

    E toca a vida, porque a igreja católica pensa assim e ponto final. Radicalismo, fundamentalismo,enfim, a garota vai viver sua vida e precisa ser amparada.

    abs e parabéns pelo blog! Ganhou meu voto!

    http://grooeland.blogspot.com

     

Postar um comentário

"Cuidado... ao dizer alguma coisa, cuide para que suas palavras não sejam piores que o seu silêncio."
Não se intimide, seja livre para comentar!

Areias do tempo:

Grãos Associados:

BlogBlogs: